As três feridas narcísicas

Três grandes acontecimentos marcaram o ego humano de tal forma que foram considerados as três feridas narcísicas da humanidade.

O primeiro grande golpe veio com Copérnico, quando o mesmo afirmou não sermos o centro do Universo. Éramos meros coadjuvantes que brincavam no carrossel do Sol.

Se não estávamos no papel principal da peça universal, nos restava ainda gozar da condição de filhos de Deus. Mas Darwin, ao descobrir o evolucionismo, nos legou a condição de mero produto do acaso. Não somos seres especialmente criados, mas apenas resultado da evolução natural dos seres.

A despeito disso tudo, quisemos reivindicar, como última esperança, a racionalidade exclusiva da nossa espécie. E então, Freud nos deu o derradeiro golpe que nos faz sangrar até hoje. Não somos sequer senhores de nós mesmos. A consciência é a menor parcela de nossa vida psíquica.

Tal qual o homem, a nossa vida – de modo individual – a cada momento sofre feridas que abalam a nossa estrutura e nos fazem repensar o que somos e o que queremos a cada instante.

Lembro-me que a primeira ferida narcísica que sofri foi aos 7 anos. Quando pequeno, pensava ser o meu pai o homem mais alto do mundo. Por ele e por meio de sua altura aspirava às coisas do alto. Foi quando conheci outro maior do que ele…

Restava ainda a condição de super-herói inerente a todo pai. Foi quando aos 13, vi meu pai chorar pela primeira vez. O homem inatingível também sentia medo, também sentida dor, também chorava. O super-herói tinha lá as suas fraquezas.

Depois de feito homem, nada mais poderia me abalar, pensei. Foi aí que me bateu à porta a morte. Nada e nem nínguém é eterno. Mesmo as pessoas mais queridas têm prazo definido de estada na Terra. Eis a ferida que sangra até hoje. Eis a ferida que nunca vai cicatrizar.

E você? Quais as suas feridas?

About these ads

12 comments so far

  1. Tanair Maria on

    Cara, adorei sua visao e formato descritivo, tambem me identiquei com as suas feridas e ate hoje sangra pela morte do meu inicialmente super heroi, depois anti heroi e hoje simplesmente meu pai (falecido em 2000)um homem que moldou o meu carater e sera sempre minha inspiraçao.

    Beijos e valeu!!!

    • on

      Obrigado pelo comentário! Um forte abraço!

  2. Erenir de Sant' Anna on

    Interessante sua forma de reler Freud. Minha ferida, mas interessante isso ainda, é mostrada pelo meu pai. O senti como pai a vida toda, mas também era mestre e como mestre seu discurso nunca ultrapassou a linha da lei, do pai. Foi advogado e advogou para tantos excluídos e isso o deixou maior. Mas a grandeza dela não foi capaz de cuidá-lo e esse homem imenso se perdeu na doença do corpo e embora também com medo da morte se deixou arrastar por um impulso tanático inevitável.Chorei muito quando partiu, sinto muito sua falta hoje, mas o que mais o representa é esse impulso de morte e não o belíssimo repertório que construíu. E é essa ferida que sangra, ainda…

  3. Nayb on

    ” Nada mais poderia me abalar, pensei. Foi aí que me bateu à porta a morte. Nada e nem nínguém é eterno. Mesmo as pessoas mais queridas têm prazo definido de estada na Terra. ” Me arrepiei, pois um dia senti a mesma sensação de ser forte e inabalaveu, que meu protetor nunca deixaria algo ruim me acontecer, até que ele se foi e eu vi o quanto era fraca e despreparada e foi bem ai que eu pude entender quando diziam ”nossa força surge de nossas fraquezas.”

  4. Olá on

    Ótimo texto, me ajudou muito na hora de fazer uma dissertação pra escola. Obrigada!

  5. adriano augusto on

    Excelente perspectiva, contribuiu signicativamente para o meu entendimento, se possivel gostaria de receber alguma referencia que tenha um olhar semelhante ao seu. Parabens, grato.

  6. Jaqueline on

    Realmente excelente, um texto que pode-se entender de maneira simples as três feridas narcísicas…Ajudou bastante… Parabéns!!!

  7. Patricia Machado on

    Estou estudando para a prova de psicologia e entre os meus estudos achei o seu texto, realmente muito interessante e sucinto conseguir ter um entendimento rápido das três feridas Narcisas. Parabéns!!!

  8. Claudir on

    BOM BOM vc me ajudo bastante cara vlw

  9. Géssica Castro on

    ótimo texto! ^^ Sua analise é sintetizada e torna a leitura muito agradável!

  10. Manoel Guimaraes on

    Luiz Fernando Veríssimo em 1997 (esse texto é dele mesmo) já dizia algo mais ou menos nessa mesma linha…

    http://www.oestrangeiro.net/filosofia/49-a-quarta-virada

  11. felipe carter on

    Toma no cu quem inventou a poh@ da filosofia Delson fdp


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: